Drones e Agricultura: saiba como aproveitar essa combinação promissora

0
UAV AgEagle agricultura de precisão com john deer sprayer
UAV AgEagle agricultura de precisão com john deer sprayer

Você sabia que de todos os drones abaixo de 25 Kg que serão produzidos mundialmente a maior parte será destinada ao agronegócio?

O motivo é bem fácil saber, trata-se do aumento de produtividade e maior competitividade advinda através da utilização dos drones, é possível descobrir por exemplo qual área da plantação está mais saudável e qual área carece de nutrientes, também há como verificar falhas de plantio, gerar rotas para colheitadeiras, calcular a massa foliar e muito mais.

O drone ou vant, utilizado para essa tarefa geralmente é um asa fixa, como o Isis da brasileira Hórus, a preferência por um asa fixa para as tarefas do agronegócio é devido a maior autonomia através do baixo consumo de energia, já que um asa fixa geralmente tem apenas um motor, enquanto os multirotores tem 4 ou mais, dessa forma é possível cobrir áreas maiores com menos paradas para troca de baterias, existem multirotores com autonomia similar aos asa fixa, no entanto, o preço desses multirotores via de regra serão bem mais altos que um VANT asa fixa com característica similar de autonomia.

As imagens para o mapeamento de áreas na agricultura de precisão geralmente são tomadas com câmeras RGB e NIR, existe a necessidade de câmeras infra vermelhas para captar o retorno da irradiação sobre a plantação e entender as discrepâncias de trocas químicas que estão ocorrendo entre a planta e o ambiente, possibilitando dessa forma “medir a saúde” da plantação.


A Fotogrametria é a ciência que mapeia grandes áreas através de câmeras embarcadas em aeronaves, esta técnica surgiu no século passado na França e passou por diversas evoluções desde a fase analógica até a fase digital que vivemos hoje, a chegada dos Drones foi simplesmente uma miniaturização dos equipamentos diminuindo o custo inicial e proporcionando uma popularização desta ciência, o profissional responsável pelo planejamento, aquisição e análise destes dados é o Engenheiro Cartógrafo.
No campo, o uso dos Drones otimiza a produção dos agricultores, por trazer agilidade e ganho de tempo ao trabalho rural, além das vantagens financeiras como a redução dos custos de operação e melhor viabilidade em relação aos meios tradicionais como os satélites e as aeronaves tripuladas. Lavouras geralmente são em grande extensão e o controle se torna mais fácil com a rapidez desses aparelhos. Assim o produto consegue monitorar seu sistema de irrigação e verificar o crescimento de suas plantas.
Todo o diagnóstico é registrado por meio de câmeras instaladas nos equipamentos, algumas com espectro infravermelho, juntamente com softwares desenvolvidos para essa finalidade “Mais que voar e captar imagens, o diferencial está nos softwares desenvolvidos para o processamento das imagens, tornando-as úteis e de fácil leitura para o melhor diagnóstico do produtor rural”, explica Amiante sobre a importância dos softwares. O diretor fabricante também ressalta a atenção provida dos agricultores para a novidade “A cada semana, a cada mês, aumenta o interesse dos produtos por essa tecnologia, pois seus resultados estão se disseminando com muita rapidez no setor”.

Eng. Manoel Silva Neto | Graduado em Engenharia Cartográfica pela UNESP campus de Presidente Prudente, Cursando MBA – Gestão Estratégica na USP, especialista em fotogrametria, possui dois anos de experiência no mercado dos Drones atuando no seguimento de pesquisa & desenvolvimento e estruturação do mercado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA